22/5/17
 
 
Cláudia Sobral 16/02/2017
Cláudia Sobral em Berlim
Cultura

claudia.sobral@newsplex.pt
@claudiasobral

Pele e ursinhos

FALKE, real skin colors e um desfile de pernas de todas as cores de peles humanas possíveis a passar no ecrã gigante da principal das passadeiras vermelhas da Berlinale, entrada para o Berlinale Palast, na Potsdamer Platz. Anúncio de colãs mais do que a propósito de uma red carpet em pleno inverno da Europa central. Conceito anacrónico o suficiente para aguçar a curiosidade pelos diários fotográficos da chegada das estrelas.

Bem sabemos que não foi para isso que aqui viemos, aliás, foi tudo o que dissemos que não íamos fazer às pessoas que aprovam e rejeitam pedidos de acreditação de imprensa, mas vai ter mesmo de ser. Só hoje e só um bocadinho, porque isto é passadeira vermelha ma non troppo também, porque temperaturas negativas sempre são temperaturas negativas e vestidos à Bella Hadid em Cannes não estávamos bem a ver. As galerias de melhores looks-piores looks são então assim uma espécie de tendências verão-inverno, os vestidos de alças-e-como-é-que-esta-gente-posa-para-fotos-cheia-de-calma-e-a-sorrir-caramba-estão-menos-quatro-graus-e-o-iPhone-diz-que-feels-like-menos-oito a conviver com outfits de peles de bichinhos a garantir que tudo vai correr bem, afinal, os ursos bem podem passar a noite na rua que não vão morrer de frio.

Outra coisa é esta gente que faz multidão para instagramar para os #BerlinaleMoments as últimas da passadeira com temperaturas a que nem a bateria de um smartphone sobrevive. Pelo menos não as dos nossos, acostumadas à vida boa do Sul. Já agora, bem podiam distribuir colãs Falke, mas pretos, em vez de maquilhagem L’Oréal nas filas para a entrada nas sessões.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

Não tem utilizador? Clique aqui para registar

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×